A transformação digital e aquecimento do mercado de TI fez surgir uma especialidade da área de Recursos Humanos que hoje é peça-chave neste mercado: o tech recruiter.

Com a missão de encontrar e selecionar os melhores talentos para as vagas abertas, o recrutamento tech, isto é, a contratação de pessoas para a área de tecnologia, é um serviço cada vez mais valorizado pelas empresas.

O processo de recrutamento e seleção de especialistas precisa ser feito de forma minuciosa, já que visa recrutar profissionais extremamente técnicos e com o perfil da vaga.

Por isso, contar com o apoio estratégico de um tech recruiter pode ser um diferencial competitivo. Neste texto, você vai entender quem é esse profissional e seus principais desafios. Vamos lá?

pessoa-tocando-carrosel

O que é e o que faz um tech recruiter?

Tech recruiter é a pessoa responsável pela seleção de profissionais da área de tecnologia, principalmente desenvolvedores de softwares.

Quem segue esta carreira também é conhecido como IT recruiter, developer recruiter, dev recruiter, recrutador de TI, recrutador de programadores etc.

A demanda por esse tipo de profissional específico aumentou muito nos últimos anos, já que recrutadores generalistas não estão aptos a escolher pessoas desenvolvedoras.

Um tech recruiter deve conhecer bem de RH e novas tecnologias, embora não precise ser especialista em TI ou softwares. Todavia, é desejável que entenda sobre as principais linguagens de programação, as carreiras e onde encontrar Devs.

Um recrutador técnico é responsável pela aquisição e triagem de currículos e pessoas, realização de entrevistas que consigam filtrar e entender o conhecimento do candidato, além de pensar estratégias para moldar o processo com a necessidade específica da vaga.

É possível, e até recomendado, trabalhar em conjunto com outros especialistas que já atuam com a tecnologia necessária para a vaga, para avaliar o candidato de modo mais efetivo.

Outra atividade que um recrutador técnico pode executar dentro de uma empresa é na definição de estratégias para melhorar os processos seletivos internos, trabalhando junto aos profissionais do Marketing, por exemplo, para implementar o Inbound Recruiting.

Recrutadores técnicos precisam ficar de olho em grupos e comunidades sobre linguagens em que os Devs participam e contribuem, pois são nesses canais que uma divulgação de vaga pode ser mais efetiva, atingindo diretamente o público-alvo.

Quanto ganha um tech recruiter?

Os salários de tech recruiters variam de acordo com o porte da empresa e sua localização, as funções e nível de experiência de cada profissional. Assim, não há como determinar com exatidão a média salarial do cargo.

De acordo com pesquisa do PageGroup, realizada em 2021, o salário desse profissional varia de R$ 4 mil a R$ 14 mil, a depender da empresa. Já a plataformas Glassdoor apontam que recrutadores técnicos no Brasil costumam ganhar em média R$ 5 mil.

Sobre vínculo empregatício, é possível trabalhar de forma independente ou como contratado(a) em uma organização de recrutamento tech.

Como me tornar um(a) recrutador(a) técnico?

Como antes mencionado, não basta somente o conhecimento em RH, mas também um conhecimento sobre as tecnologias atuais e mais utilizadas no mercado de trabalho. Boa parte dos profissionais têm ao menos 2 anos de experiência na área de TI, antes de tornarem-se tech recruiters.

Não é necessária uma graduação, mas isso varia de empresa para empresa. Mas o estudo sobre tecnologia e linguagens de programação são um bom diferencial.

Quem deseja trabalhar com recrutamento tech precisa manter-se atualizado, já que este é um mercado em constante mutação. Além disso, precisa ter soft skills fundamentais à profissão, como:

  • Boa comunicação e networking;
  • Conhecimento sobre TI, negócios e projetos;
  • Vasta experiência em recrutamento e seleção;
  • Atenção para oferecer uma boa vivência aos talentos nos processos seletivos.

A graduação exigida é a mesma dos profissionais generalistas de RH. Pode ser Psicologia, Gestão de Recursos Humanos ou Administração. Para quem deseja se especializar, porém, há cursos de preparação na área.

Conclusão

Essa nova profissão é um complemento para facilitar a vida do setor de Recursos Humanos, e não substituir os profissionais que já existem. Portanto, ainda são necessárias pessoas que ajudam a gerenciar, estruturar e recrutar o time de uma empresa. Entendemos que a forma de trabalho evoluiu.

O mercado brasileiro vai precisar de 797 mil profissionais de TI até 2025, de acordo com uma estimativa da Brasscom, associação das empresas do setor. Com esse superaquecimento, estes profissionais nem costumam procurar emprego, mas são "caçados" pelas empresas.

Assim, esse cenário abre portas para a especialização dos recrutadores dedicados ao universo da tecnologia. Por isso, se você pensa em investir nesse segmento, a hora é essa!