O design utiliza constantemente conhecimentos da Psicologia e da Economia Comportamental para tentar definir boas práticas, ampliar o conhecimento a respeito de usuários e fundamentar entregas, buscando apoio científico para atuar em produtos digitais de forma estratégica.

Um conceito que vem crescendo bastante em popularidade e sua aplicação no UX design é o de viés cognitivo.

Cada vez mais, designers aprofundam seus estudos a respeito deste tema para compreender como usuários pensam e interagem com produtos, no sentido de otimizar interfaces de UX/UI com base nessas formas de pensar, facilitando a execução de uma tarefa ou apoiando o produto para alcançar o resultado de negócio desejado.

Uma das bases mais importantes do trabalho em UX são as pesquisas, já que elas tornam as percepções do time mais claras sobre as necessidades e opiniões do público usuário.

No entanto, entre o que essas pessoas transmitem e o que UX researches entendem pode haver distorções não propositais. Por isso, entender vieses cognitivos é essencial.

imagem ilustrativa Head

O QUE É VIÉS COGNITIVO

Viés cognitivo é uma tendência que todo o ser humano possui e que afeta suas avaliações e julgamentos sobre outras pessoas, situações ou decisões.

Pode-se dizer que o viés cognitivo nos leva a uma falha sistêmica das nossas tomadas de decisão. Sistêmica porque ela pode acontecer mais de uma vez, podendo estar atrelada a valores e crenças pessoais, o que os torna bastante difícil de identificar.

Dessa forma, é importante saber identificar quais são esses vieses cognitivos para que melhor possamos tomar as nossas decisões da maneira mais imparcial possível, buscando somente o melhor para os usuários.

Dentro do mundo do UX, a falta de imparcialidade pode atrapalhar significativamente o desenvolvimento de um produto ou até mesmo a análise de dados de pesquisa.

A definição de viés cognitivo pode ser um pouco confusa no começo. Mas a partir de alguns exemplos fica mais fácil de entender.

VIESES COMUNS EM UX

Os vieses em UX Research têm maior peso e podem afetar as informações que são levadas ao time do produto. Entender como funcionam, o que funciona como gatilho a eles e como evitar é essencial.

Para o Design de Experiência, destacam-se três principais: viés de confirmação, viés de expectativa e viés de desejabilidade social. Conheça cada um, a seguir.

1. Viés de confirmação


O viés de confirmação trata de uma possível inclinação à filtragem de informações, dando prioridade somente ao que, de alguma forma, está alinhado com suas próprias crenças. Ou seja, em UX research, pessoas pesquisadoras podem dar mais ênfase às ideias e afirmações nas quais acreditam e nas opiniões que compartilham, preterindo outras informações igualmente importantes. Ou seja, se trata de valorizar somente aquilo que é uma crença em comum.

2. Viés de expectativa

O viés da expectativa é um dos que mais estão ligados ao nosso subconsciente e, por isso, é um dos mais difíceis de serem detectados. Neste caso, não se trata de querer reforçar algo que já se acredita para validar pontos de vista. Neste caso, a tendência natural é aprovar algo com o qual estamos alinhados, mas de maneira praticamente não proposital.

Toda pessoa de UX research tem suas próprias convicções e hipóteses em relação a qualquer coisa que esteja sendo analisada dentro de um produto. Isso pode gerar o risco de foco excessivo em percepções e respostas que vão estar alinhadas com essas visões. Ou seja, havia uma expectativa de encontrar essas informações e, quando elas chegam às pessoas de pesquisa, somente esses pontos levarão destaque.

3. Viés da desejabilidade social

A desejabilidade social é um viés cognitivo que nos alcança em qualquer momento da vida, uma vez que trata sobre nossa necessidade de aceitação diante de outras pessoas. Isso nos gera insegurança e também nos impede de tomar decisões que realmente desejamos por medo de gerar percepções negativas ou desagradar outras pessoas.

Aqui, precisamos pensar a partir do outro lado do trabalho de UX research, ou seja, a partir da perspectiva da pessoa entrevistada. Em muitas ocasiões, essas figuras simplesmente não conseguem ser transparentes e verdadeiras em suas respostas pelo fato de terem receio de como serão vistas de acordo com o que disserem.

Tudo que o trabalho de UX research precisa é de transparência e verdade. Então, aqui o trabalho consiste em transmitir segurança para pessoas usuárias entrevistadas, reforçando que podem, e precisam, emitir suas percepções com toda sinceridade e sem nenhuma preocupação. Só isso vai garantir a captação de informações realmente relevantes e que podem ser decisivas para UX e produto.

NFTs e vieses UX

A Design From Human lançou uma coleção de cripto arte sobre Vieses Cognitivos no Design de Experiência intitulada “Vieses no Design”.

A coleção será formada por 100 cards únicos onde cada cartão apresentará uma ilustração e descrição sobre um viés cognitivo e exemplo prático da aplicação do conhecimento em projetos de design e marketing.

imagem ilustrativa notebook

Além de proporcionar a designers, profissionais de marketing, desenvolvedores e profissionais criativos benefícios exclusivos dos futuros produtos e serviços da Design From Human, a coleção também tem como objetivo ser uma referência sobre psicologia aplicada ao design, para que profissionais da área consigam levar seus projetos a um novo patamar.

Conheça a coleção Vieses no Design no OpenSea: https://opensea.io/collection/viesesnodesign

Quer saber mais sobre este tema?

Vieses cognitivos é um conteúdo abordado no curso de UX/UI Design da Cubos Academy. Quer entender mais sobre este e outros temas do universo de Experiência do Usuário? Acesse nosso site e saiba mais!